sábado, 14 de março de 2009

E AGORA?




Dia de visita e almoço na casa paterna!
Entrar em casa é uma aventura... uma rotweiller a pedir mimos, a amassar-me as costelas com as patas, a marcar-me as costas nas ombreiras das portas e a absorver com lambidelas o perfume do banho matinal... depois, tropeçar agarrada aos móveis até cair sentada no sofá, com a cabeçorra da bicha no colo...e a decoração varrida pela cauda, em todas as direcções!
Quando a calma se instala, finalmente, ver o resto da família.
Desta vez encontro um pai amuado na sala e uma mãe de lágrimas nos olhos.
O meu pai, pela primeira vez em tantos anos de vida em comum, tinha dito uma asneira, pior do que isso, um palavrão.
Tentei saber qual. Recebi de volta um olhar, já seco, e indignado.
Considerando o que sei dos dois, não consegui imaginar a tal palavra. Ele que franzia o sobrolho quando me ouvia dizer: Caraças. Ela, que eu nem sei se sabe muitos "palavrões"!
Como sempre, em caso de crise, ri-me, brinquei, lembrei-a de que há comportamentos a esperar de certas circunstâncias, aconselhei-a a responder à letra e...fugi da cozinha!
Ficou-me, no entanto, um problema - na próxima semana é o dia do pai - que é que lhe levo?
Um livro de Boas Maneiras ou um Dicionário de Sinónimos?


17 comentários:

Carla disse...

Eu comprava o dicionário e fazia a delicia dos dois, ele aprendia a dizer palavrões por outas palavras e ela ficava feliz por ele não os "dizer" ih ih ih, adorei esta sua descrição de uma "visita paternal" está o máximo. Bj e bom fim de semna

Fatima disse...

Oh Ana se calhar bastam um mimo e um sorriso...

pensamentosametro disse...

AHAHAH, Ana tive que me rir. Conheço a sensação, tanto da cadela como da mãe amuada por coisa tão pequena. Somos duas mulheres de sorte porque ainda temos pai e mãe, que se amam a ponto de amuarem por um palavrão.

Bjos, sem esquecer a mimenta 4 patas.


Tita

kris disse...

Oh Ana

também me ri com o teu post..nunca pensei e nos dias que correm, que dizer um palavrão poderia causar tanto sobressalto :) sendo assim, continuo com a fé na raça humana.


Em relação à oferta..acho que não é caso para tanto...por isso, nem um nem outro...:))

beijo

Anónimo disse...

ana
da 2 bj. ao "velhote" e esquece.
pq, sinceramente ri a bom rir...
são coisas tão naturais para nós e eu calculo a srª sua mae.

lololol

beijo grande

jesus

simplesmenteeu disse...

Dá para ver ver e sentir a cena.
Da atrapalhação, ao amuo e á irritação.
Bonita descrição de um quotidiano com toques inesperados...
No dia do pai, talvez uns bomboms, uns mimos e um sorriso.
Beijo

Ana Oliveira disse...

Carla

Tenho mesmo de pensar bem...eu também me ri...depois!

Bom fim de semana

Beijos

Ana

Ana Oliveira disse...

Fatima

É mesmo o que lá vou fazer...dar mimos...e ouvi-los...e fazê-los sorrir, quando consigo!
A doença do meu pai criou uma serie de situações muito dificeis de gerir (e digerir) pela minha mãe, e só mesmo ouvindo e brincando é que é possível contorná-las!

Bom fim de semana

Beijos

Ana

Ana Oliveira disse...

Tita

Somos mesmo mulheres de sorte!!!

A cadela pesa praí 40Kg e julga-se igual aos gatos...com direito a colo!
E os pais fazem de mim "muro de lamentações" e eu descobri que a melhor maneira de lhes cortar os amuos é dizendo qualquer coisa que soe a queixa, sobre o outro, e pronto...passo a má da fita e eles ficam bem.

Beijos para ti e para a "especial" 4 patas...

Ana

Ana Oliveira disse...

Kris

Imagina...e eu que nem sei o que ele disse...

Quanto à oferta eu estava mesmo a brincar...achas que tinha coragem???

Beijos

Ana

Ana Oliveira disse...

Jesus

A minha mãe estava "passada"...e não vai ela ao atelier, para nos ouvir, em alguns dias...

Beijos

Ana

Ana Oliveira disse...

Simplesmenteeu

Amuo, lagrimas e irritação...comigo que minimizei a "coisa"...

No dia do pai, um livro, certamente! Mas nada de "dicionários" ou sou..."deserdada"!!

Beijos

Ana

kris disse...

Ana

nunca se sabe...lol...

beijo

Anónimo disse...

È uma bênção mesmo ainda teres os dois; eu só já tenho um (ele) e que me está a deixar á beira de um ataque de nervos, de uma maneira que com a sua rebeldia está a fazer com que eu me sinta assim como um criança de 6 anos; cada vez me lembro mais dela e porque não foi ele a ir primeiro?

Um beijo
Naft

Paula Raposo disse...

Tão querida esta tua visita à casa paterna! Um dicionário faz sempre falta...eh eh eh beijinhos

Ana Oliveira disse...

Naft

A idade tem dessas coisas...e quando comecam a estar menos lucidos comecam tambem a sentir fugir-lhes o controle das proprias vidas e nao o aceitam com facilidade...mas a verdade eh que nos deixam os nervos em franja, de vez em quando!!!
Eu tenho a sorte de ter os meus pais a viver com a minha irma e familia, ela eh que tem a pior parte das birras, eu so vou de visita e quando a doenca se agrava, por isso fazem-me as queixas a mim...e mesmo assim nao eh facil.

Beijos

Ana

Ana Oliveira disse...

Paula

Obrigada.
Acredita que se eu levasse o dicionario, primeiro ouvia das boas, mas depois de uma brincadeira, acabavam a rir!!!

Beijos

Ana