quinta-feira, 9 de abril de 2009

NARDO



O Nardo é uma delicada erva aromática, originária das regiões montanhosas da Índia Setentrional, da China e do Japão.
--------------------------------------------------------------------------------
O óleo essencial obtém-se pela destilação (em corrente de vapor) dos rizomas e das raízes exsicadas e prensadas. É um líquido amarelo ambreado, com um forte e característico odor doce lenhoso, muito cálido, quase “animal”.
O Nardo Indiano foi um dos primeiros materiais aromáticos a serem utilizados pelos antigos Egípcios.
Citado também na Bíblia (no “Cântico de Salomão”), é famoso por ter sido a planta cujo óleo foi usado pela Virgem Maria para untar Jesus antes da Última Ceia.
CCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCC
PROPRIEDADES
CCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCCC
O óleo de Nardo era usado pelos unguentarii (os perfumistas da antiga Roma) para preparar o nardinium, um dos perfumes mais célebres da Antiguidade.
Para além do seu indiscutível poder desodorizante, são tradicionalmente atribuídas ao óleo de Nardo propriedades anti-inflamatórias, bactericidas e fungicidas.
É totalmente atóxico e, por ser difícil de se encontrar, actualmente não é utilizado nem em cosmética e nem em perfumaria.
Fotos Google

13 comentários:

kris disse...

Então está mal aproveitado...

uma boa tarde e beijo..

PS: estou a preparar-me para mais uma tarde de fotografias..

Paula Raposo disse...

Não sabia. Obrigada pela partilha. Beijos.

Carla disse...

A Ana só pode estar a brincar, claro que permito, aliás para mim isso era uma honra. Um beijão e uma Páscoa cheia de chocolate ih ih ih

Anónimo disse...

Uma boa noite para ti

Quanto a mim vou imaginar como será o cheiro do óleo de Nardo, enquanto não me vem o sono.

Um beijo

Naft

alice disse...

belíssimos os nardos :) beijinhos e boa páscoa, ana.

kris disse...

Ana

onde andas tu??

beijo

e uma Feliz Páscoa

Ana Oliveira disse...

Meninas

Obrigada pela visita.

Não tenho vindo por aqui, nem visitado ninguém porque o pobre do meu pai está, de novo, internado.
O problema não é grave mas extremamente doloroso, complicado e debilitante. Por isso desde ontem que o meu assento é...banco de urgência e enfermaria!!!

Tenham um bom Domingo de Páscoa e que o cheiro sagrado do nardo vos encha de paz.

Beijos

Ana

Renato disse...

Bonita a flor, só houve um equivoco, não foi a virgem Maria que ungiu a Jesus com unguento de nardo puro, e sim Maria de Betania, irmã de Lázaro.

Esta flor é encontrada em seu estado nativo na região do himalaia ok.

Ana Oliveira disse...

Renato

Obrigada pela visita e pelo comentário.
Tem toda a razão, foi Maria e não a Virgem Maria quem ungiu Jesus. Depois do seu reparo percebi o meu lapso.
Mais uma vez obrigada.

phoenixabeaterno disse...

DESCULPE A INVASAO - AS FOTOS QUE TEM NO ARTIGO DO "NARDO " SAO AS DUAS DA PLANTA EM QUESTAO ? - A SEGUNDA PARECE-ME UMA FOTO DE "FRESIAS2 PELO MENOS E COMO SE CHAMAM AQUI NO REINO UNIDO - POR FAVOR ESCLARECA E DESEJO AS MELHORAS DE SEU PAI -NAMASTE

Ana Oliveira disse...

phoenixabeaterno

Tem razão no seu comentário, outras pessoas me fizeram essa observação!
Encontrei estas fotos na net com a indicação de serem nardos, no entanto já me disseram que a 2ª das fotos é de uma fresia... devia na altura ter rectificado mas como expliquei a situação era complicada e depois esqueci.
Agradeço o seu reparo e também os seus votos de melhoras, hoje está recuperado da situação e dentro dos limites da idade encontra-se razoavelmente bem.

Namaste

Maria Isabel disse...

Não se diz "untar" para pessoas mas sim "ungir".
Não foi a Santíssima Virgem Maria que ungiu Nosso Senhor Jesus Cristo 6 dias antes da Páscoa, mas sim Maria Madalena em Betânia: "Então Maria, tomando um arrátel de unguento de nardo puro, de muito preço, ungiu os pés de Jesus, e enxugou-lhe os pés com os seus cabelos; e encheu a casa do cheiro do unguento" Jo 12:3

Ana Oliveira disse...

Maria Isabel

Tem toda a razão! Eu deveria ter sido mais atenta quando copiei...até porque eu conheço a palavra ungir referindo-se a pessoas e também sabia que tinha sido a Maria Madalena.
Agradeço a correcção.