segunda-feira, 27 de abril de 2009

SOMBRAS


Saudade do silêncio marcado pelos passos lentos, o roçagar das saias, o tilintar das contas, o canto longínquo a ecoar nas pedras do claustro.
Saudades de um tempo em que as palavras ainda se podiam ouvir uma a uma e os pensamentos tinham tempo de se acomodar ao ritmo das horas.
Foto Google

8 comentários:

kris disse...

Bom dia

recordar o que um dia passamos, deixa sempre saudade.
espero que o teu pai vá melhorando...

um beijo pela manhã

entremares disse...

Saudade do chilrear dos pássaros, do abanar das folhas, de nuvens brancas.

Saudades de um tempo em que o Verbo conseguia criar, em que os ouvidos conseguiam escutar, e os passos... só caminhar.

( gostei muito daquilo que escreveu )

simplesmenteeu disse...

Lindissima reflexão.
Apetece-me assinar por baixo das tuas palavras.
Saudade desse silêncio de veludo...

Que a tua tarde se encha de luz e tranquilidade.

Abraço carinhoso

najla disse...

Simplesmente...lindo!
beijos

Ana Oliveira disse...

Kris

Sou pouco de saudade...mas ha alturas em que as circunstancias me trazem as memorias boas.

O meu pai vai melhorando, obrigada.

Beijos

Ana

Ana Oliveira disse...

Entremares

Eh boa esta sensacao de se ser entendida.

Obrigada

Ana

Ana Oliveira disse...

Simplesmenteeu

Haja luz e serenidade para nos!

Beijos

Ana

Ana Oliveira disse...

Najla

Obrigada.

Beijos

Ana