domingo, 22 de agosto de 2010

:
:

:
:
Nas catedrais de carne que se arquitectam em mim crescem raízes de gelo no fogo das pedras.
:
:
Fotomontagem Ana Oliveira
:

16 comentários:

AC disse...

Na arquitectura interior tudo se conjuga, até o aparentemente inconjugável. O resultado, esse, só cada um o poderá conjugar...

Beijo :)

Ana Oliveira disse...

Pois é...vamos colocando em nós pedra sobre pedra como se nada pudesse destruir as paredes do que somos...

uma pedra se esboroa

outra é bela e perfeita

o resultado

um mosaico de emoções nem sempre controladas.


Um beijo

Flor de Lys disse...

Carne, gelo e pedras... será talvez esse alguns dos materiais da alma?
Peguei-me a pensar...
Beijos!

Álly.

© Piedade Araújo Sol disse...

frase profunda...tela a condizer com as palavras...

beij

Noemia Travassos disse...

Olá Ana
Profunda a sua msg ... deixa-nos a meditar que emoções geramos quando misturamos elementos como a água (gelo), fogo e terra (pedras). Creio que o 4 elemento, o Ar, completou o círculo quando partilhou esse sentir com todos nós.
Aproveito para lhe agradecer a sua passagem pelos "Amigos-da-Porcelana". Os seus comentários são sempre uma força para nós.
Desejo a si e a todo o seu grupo de artistas muitos sucessos para a exposição e que os vossos maravilhosos trabalhos sejam muito apreciados.Pena eu estar no Porto ...
Um abração e até breve !

ManuelNeves disse...

Viva!

Muito interessante esse seu pensamento associado a uma bela imagem.
Passarei por cá mais vezes.

avlisjota disse...

Vamos crescendo, vamos-nos alicerçando, vamos-nos conhecendo e vamos-nos libertando...

Profundo e belo o pensamento!

Bjs Ana e boa semana!

José

Há e que a exposição seja um sucesso!

Ana Camilo disse...

Ana obrigada pelo comentário e pela apreciação ao meu trabalho.
No fim de semana lá irei ver a exposição.
Bjs

Carla disse...

Oi minha querida Ana, desculpa só agora aparecer, já não tenho mais desculpas......não sei se te respondi ao teu pedido de trazer alguns trabalhos, sabes bem que é sempre um prazer "estar" no teu blog. Quanto á exposição, és uma querida que esta sempre a colocar-me em "cima", mas essa história de exposição não deve ser facil, o blog não é assim tão conhecido e o meu trabalho também, mas vale sempre a pena ler esse tipo de comentários. Um beijão e obrigado

Ana Oliveira disse...

Flor de Lys

Serão todos esses materiais e o ar que respiramos que a alma está por dentro de nós e à volta do que somos.

Um beijo

Ana Oliveira disse...

Piedade

Obrigada.

Nunca vamos tão fundo como quando entramos em nós sem medo.

Beijos

Ana Oliveira disse...

Noémia

Gostei muito da sua apreciação sobre a minha frase e de como ficou tão mais significativa.
Este "ar" que partilhamos também nos completa!

Espero voltar breve ao Vosso comvivio nos "Amigos da Porcelana.

Pena estar tão longe, mesmo, seria um prazer receber a sua visita.

Um beijo e até...

Ana Oliveira disse...

ManuelNeves

Viva!

Obrigada pela visita e pelo apreço e espero que volte.

Um abraço

Ana Oliveira disse...

Avlisjota

A liberdade só pode nascer de verdadeiramente nos conhecermos senão não saberemos que voos desejar nem que asas nos conveem.

Um beijo José

Ana Oliveira disse...

Ana

Não tens de agradecer...a apreciação é justa e devo dizer que o teu trabalho, nesta exposição, tem sido muito admirado.

Beijos

Ana Oliveira disse...

Carla

Atrasada também eu venho responder ao teu comentário...por isso entendo bem!

Obrigada pela "autorização" que esperava.

Nada é fácil na vida...mas temos sempre de tentar...se não for agora a exposição espero que em outra altura, com mais tempo e mais trabalho, venhas a conseguir...e é uma ideia para ficar por aí, sim?

Um beijo