quinta-feira, 16 de maio de 2013






penso no peso do linho. estou descalça. solto os cabelos e recolho todo o sol que cabe na pele. inspiro até à dor. expiro. o extase do vazio é um delírio a que me dou por completo no espelho de água reflectindo em círculos a pedrada do corpo. de olhos abertos sigo a luz que se afasta enquanto pressinto a escuridão e volto a pensar no peso do linho. molhado. colado às pernas desce-me até à respiração liquida do esquecimento. tear naufragado a tecer cantos de sereia.

foto da net

8 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

bonitas palavras, cheias de sentires com uma belíssima imagem.

beijo

Silenciosamente ouvindo... disse...

Um texto muito bom e bonita
imagem. Desejo que esteja bem.
Beijinhos e bom fim de semana.
Irene Alves

Ana Oliveira disse...


Obrigada Piedade.

Beijo

Ana Oliveira disse...



Obrigada Irene.


Estou bem :)

Bom fim de semana

Um beijo

Nilson Barcelli disse...

Escreveste um excelente texto.
Muito poético e bem articulado com a foto.
Um beijo minha querida amiga Ana.

irene alves disse...

Um beijinho e o desejo que
tenha um bom fim de semana.
Bjs. Irene Alves

lua prateada disse...

Uauauhhh...que dança de palavras tão lindas e o linho molhado que desce....
Beijo de Luz

SOL=CIDÁLIA

Isa Lisboa disse...

Adoro: a foto e o texto! :)
Beijos