terça-feira, 7 de julho de 2009

PORTAL


Rafal Olbinski

Não há fantasmas.
Nada, para trás no tempo, nos pode fazer sombra.
Nenhuma floresta é tão densa que um raio de sol não chegue ao chão.
São os nossos pensamentos, densos e cristalizados, que se abatem sobre nós, como fiapos de teias que o tempo juntou.
São as memórias, que não soubemos arrumar, que se acumulam a nosso lado como corpos vivos e tangentes a impedir o caminho.
São os desejos, que não paramos de criar, que nos impedem de ver quantos arco-iris dão cor ao nosso céu.
Há sempre uma porta a ser aberta e um mundo fresco e novo a descobrir... e um rio de riso...e uma flor de cheiro... e uma estrela e um infinito caminho de cristal a percorrer.
Foto Google

9 comentários:

Paula Raposo disse...

Sem dúvida! Tens toda a razão. Tanto para descobrir diante dos nossos olhos...beijinhos.

kris disse...

Ana

felizmente o arco íris nunca tem fim, e tentámos sempre alcansá-lo.
gosto da parte da porta aberta..há que ter cuidado em nunca as fechar.

um beijo ..2

Carla disse...

Viva Ana, á muito tempo que não vinha fazer uma visitinha. O tempo não me dá treguas e apesar da vontade ser muita não consigo estica-lo mais. Tudo bem consigo? Espero bem que sim. Um beijão e uma boa semana

Benó disse...

Bonita imagem e bonito texto que concebeste para a ilustrar.
Um abraço, Ana.

najla disse...

E isso às vezes, um passado sombrio, dá direito a um presente não muito claro...

O Profeta disse...

Mas os golfinhos continuam felizes
A cavalgar ondas de madrepérola
A Lua sorri tristemente e pensa
Haverá alguém mais perverso do que ela?
Haverá?! Há sempre uma deusa perdida
Nos labirintos da contradição
Há sempre alguém que usa a palavra amor
Soprando doce veneno ao coração

Boa semana


Doce beijo

Me Hate disse...

Grande verdade! Aliás, só quem nada teme, nada descarta... pode vir a conhecer o outro lado do espelho! Caso contrário ficamos sempre no lado seguro, enfadonho, conhecido e cristalizado de uma possibilidade que nunca pode ser porque, nunca a tivemos em pensamento e, acima de tudo: em quer colocá-la em prática...

Daí que, acredite piamente que nunca devemos ficar na retranca e no "não dar muito nas vistas"... ;)

Ana Oliveira disse...

Me hate

"não dar nas vistas" :)!!!!!!!!!!

Beijos

Ana

mariabesuga disse...

fantasma quem se fecha do lado de dentro das portas trancando a vida do lado de fora e baixam as persianas quando há sol e sorrisos a rondar as aberturas da casa...

um beijinho, Ana, pelos sentidos.