sexta-feira, 18 de setembro de 2009

PÉ DE DANÇA

:
:
.................................Mãos perdidas na sombra
.................................Batem musica que não oiço
.................................Marcam tempos que não quero
:
.................................Gira-me a roda da saia
.................................Pinga-me o ritmo do pé
:
.................................Mas o baile que me arrepia
.................................É a maré crescente do peito
.................................A rebentar à flor da pele.
:
:
Tela Ana Mamede. Foto Vitor Martinez.

14 comentários:

antonior disse...

Olá, Ana,

É verdade, as sombras dentro de nós, servem-nos para esconder o que sabemos, mas não queremos saber.

Fugir não adianta. Como dizem os brasileiros:
"Se fugir o bicho pega..."
Há que correr o risco de enfrentar, ou melhor aceitar e domar. Nem sempre "o bicho mata". Por vezes dentro do "monstro" está uma alma.

Beijinhos

antonior disse...

Respondi aos comentários colocados no post "TINTIN - O VELHO AMIGO" na página em que foram feitos.

Liliana disse...

O ritmo habita em nós, a música também. Não há como fugir, nem como negar...

2007friend disse...

Uma dança no fogo, claro que é o meu olhar...haja musica mesmo que seja de arrepiar.
Olá Ana tenho andado a trabalhar bastante, uma semana para dar em louca, sem horários.
Bjs

Ana Oliveira disse...

Antonior

No fundo sabemos sempre das sombras e do que são.
Por isso ou bailamos com elas ou fincamos o pé...prefiro bailar... e o monstro, às vezes, é como o da estória, inofensivo.

Tenho lido sempre as suas respostas aos meus comentários, que agradeço.

Beijinhos

Ana

Ana Oliveira disse...

Liliana

Obrigada por entenderes.

Beijos

Ana

Ana Oliveira disse...

Friend

Que bem viste o que escrevi.

A maravilha é que cada olhar tem uma visão diversa mas tão próxima do que as palavras querem transmitir.

Semana mais calma é o que te desejo.

Beijo grande

Ana

Me Hate disse...

E a tal de prosa poética autoria de vossa excelência certo?????? Continua sem me agradar essa tam Ana Mamede mas, que fazer??? Apanhar com ela... enfim!

pensamentosametro disse...

Com fome de beleza e de palavras de seda venho aqui saciá-la, como sempre Ana, mesa farta:

Ah pois e eu também não acho piada nenhuma a essa Ana Mamede, ahahahaha.



Bjos



Tita

Crystal disse...

De alma perdida nas mãos chego a este pé de dança que me preencheu num bailado perfeito das palavras com a musica...

Gostei muito!

Ana Oliveira disse...

Me hate

Nem mais... "prosa poética"...que bonito! Eu, que não sou nem poeta nem prosadora, sinto, finalmente, rotulado...o atrevimento de usar as palavras como se fossem peças de um puzle, de que ainda não descobri o desenho original!
E não é que gostei!

Enquanto a tal de AM fizer umas coisas de que gosto vai aparecendo...e quando não fizer aparece na mesma que este espaço para além de meu é de todos os que por gosto, jeito ou talento, queiram andar por aqui
:)

Beijos

Ana

Ana Oliveira disse...

Tita

Bem aparecida!
Obrigada. Ainda bem que vindo não sais "desconsolada"...a beleza deixa-se partilhar e as palavras dependem sempre dos olhos que as querem ler.

Mas será possível que toda a gente embirre com a pobre pintora imcompreendida??? :) :)

Beijos

Ana

Ana Oliveira disse...

Crystal

Obrigada.

É também de alma nas mãos que oiço a musica e me deixo levar pelo passo das palavras.

Beijos

Ana

pensamentosametro disse...

Pois é tadinha da Ana de quem não gostamos naaaada, não é? AHAHAH.


Bjos Anas :)


quase de regresso.




Tita