sábado, 10 de abril de 2010




Quando mil passos nos deixam o corpo dorido, o caminho ainda pode ser um atalho florido.
Quando a esperança é o véu que nos cobre, continua a ser a renda que enfeita a espera.
Mesmo nas horas difíceis a beleza reconcilia a serenidade com o inevitável.

Foto Google

10 comentários:

Multiolhares disse...

Quando em palavras simples, se entra na alma das pessoas o coração pode florir
beijinhos

uminuto disse...

serena a beleza destas palavras
um beijo

partilha de silêncios disse...

Adorei o seu poema!

Acho que sim, continua a ser a renda que nos enfeita a espera.

Bom fim de semana.

bjs

AFRICA EM POESIA disse...

Um beijo e bom Domingo

CÉU


Como é belo e límpido o céu azul...
Céu, cheio de nuvens lindas e desenhadas.
Onde os pássaros voam em bando...
E onde eu gostava de morar...

Morar lá longe, morar lá no alto...
Sem ninguém... e ficar sózinha...
Onde me movesse... voando...
E não sentisse... que tu existias...
Como seria bom... poder estar só!...

Sózinha... comigo...
E com mais ninguém...
Queria sentir... que era livre...
E que dentro de mim... no meio das nuvens...
Não existia nada... que me recordasse...
Que tu também existias!...

LILI LARANJO

Me Hate disse...

És muito mais poética do que eu! A mim corpo dorido pede apenas um fim de tarde com um copo de vinho meia-duzia de palavras lidas de um bom livro, duas, quem sabe, três, num bom dia musicas que tocam num cd esquecido e muito, muito sono que a dormir de 3 em 3 horas quando só há 7 para o conseguir fazer... 1 estará estupidamente sempre perdida para pensar no que foi, no que podia ser e, certamente, no que nunca virá a ser!

Ana Oliveira disse...

Multiolhares

As palavras simples, como os olhares cândidos entram nas almas com passos de lã...

Bjs

Ana Oliveira disse...

Uminuto

Obrigada... a serenidade precisa-se.

Um beijo

Ana Oliveira disse...

Partilha de silêncios

Obrigada.
Possamos nós tecer sempre esta renda que nos cobre e aconchega a espera.

Um beijo

Ana Oliveira disse...

Lili

Obrigada pela visita e pelo belo poema.

Um beijo

Ana Oliveira disse...

Me hate

Feliz ou infelizmente é-me dificil não achar sempre alguma beleza em tudo o que acontece...ou pelo menos tirar o melhor partido dos caminhos que percorro, sejam eles dificéis ou não.

Beijos