segunda-feira, 26 de julho de 2010

:
:




:
:



Quem me cantará o rumor do sol

na pele quente tocada pelo vento

e o olhar deslumbrado de verde e oiro

na armadilha de um corpo que não voa?  

:
:
Impertinência de Ana Oliveira

:

10 comentários:

Maria disse...

Perdo-me neste amarelo que me faz voar...
Bom dia!
Beijo.

AFRICA EM POESIA disse...

na
Esta pintura é...?'???

Explica-me -é linda


Beijos

TELEFONE



Toca o telefone...
Toca sem parar
Deixo-o tocar
Mas depois...
Vou...
E quando lhe pego
Nunca mais toca...
Alguém estava...
Mas não queria estar...
Do outro lado de lá
Ouvi suspirar...
E fiquei a pensar...
Porque será?
Que se passará?
E continuo à espera...
Que ele volte a tocar!...


LILI LARANJO

2007friend disse...

Linda Foto Ana.
Olha para a Lua e voa para ela...

Pedrasnuas disse...

O CORPO NÃO VOA...MAS A ALMA SIM...NAS ASAS DE UM GIRASSOL...
TU TAMBÉM FAZES "BRINCADEIRAS" INTERESSANTES ÀS TUAS FOTOGRAFIAS...

BEIJINHO E CONTINUA ASSIM QUE VAIS MUITO BEM...PARABÉNS!

© Piedade Araújo Sol disse...

tem dias que o corpo voa...

essa foto tá um must!

beij

Ana Oliveira disse...

Maria

Este amarelo que queria ser asa...

Um beijo

Ana Oliveira disse...

Lili

Não é pintura...é uma brincadeira que fiz com o Paintshop numa foto que tirei a uns girassóis.

Obrigada pelo poema

Um beijo

Ana Oliveira disse...

Friend

Quando o rumor do sol se perde nos ruídos do dia é mesmo melhor ouvir o silêncio ensurdecedor da lua.

Beijo

Ana Oliveira disse...

Pedrasnuas

Obrigada :) tanto hei-de tentar que terei de conseguir...

Obrigada

Beijo

Ana Oliveira disse...

Piedade

Há dias assim, em que voamos com as asas da alma ancoradas ao corpo que nos sobra.

Obrigada

Um beijo