terça-feira, 27 de julho de 2010

A NOVA COZINHA...

:
...OU COMO ENLOUQUECER EM TRÊS MESES...
:
:
Tome-se uma qualquer receita de arroz, também pode ser massa ou feijão, e faça-se com "qualquer coisa" que não seja nem carne nem peixe, do seguinte modo (seguir as instruções à risca!):
:
- refoga-se a cebola com azeite, junta-se sal q.b. (se se souber o que isso é), massa de tomate (só um "cheiro"), salsa ou coentros e a tal "qualquer coisa"
- acrescenta-se bastante água (bastante !) e deixa-se levantar fervura
- junta-se o arroz, massa ou feijão e deixa-se cozer até espapaçar (isso...desfeito mesmo).
:
Depois de pronto serve-se em prato fundo (porque deve estar muito liquido), deixa-se arrefecer para que não cheire a recém cozinhado e coloca-se num tabuleiro arranjado a preceito.
Ao sair da cozinha fecha-se rápidamente a porta para que nenhum odor se escape.
Entrega-se o tabuleiro, esperam-se de dez a quinze minutos pelo gesto, relutante mas corajoso, da primeira (e única) garfada (leia-se colherada) e fica-se a saber que tem sal a menos (ou a mais...depende), a tal "qualquer coisa" está mal cozida (mesmo que nem se encontre de tão desfeita)!), que o azeite está cru e que precisamos de aprender urgentemente a cozinhar (até porque já temos idade para isso...mesmo que para outras coisas não).

:

Volta-se à cozinha, desafivela-se o sorriso, solta-se o sopro contido, coa-se o cozinhado, esmagando bem com a colher de pau, serve-se numa tigela (está ainda mais liquido) e leva-se o tabuleiro compondo um novo sorriso.
Espera-se mais uma vez, enquanto se faz conversa com tudo o que vem à cabeça, para  disfarçar a espera e a ansiedade (é melhor que olhar fixamente para a parede e bater o pé de impaciência.
Nova colherada e, definitivamente não temos queda para a culinária...
:

:
:
Resta-nos como último recurso o batido de fruta (uma qualidade, nunca frutas misturadas), batida com açucar, caso consigamos perceber se está suficientemente madura. Coa-se também, mas desta vez no passador do chá (tem a malha de rede mais fina) e serve-se em copo, leve e não muito grande (achas que bebo isto tudo?) e espera-se que o calor da tarde não azede o sumo...
:
:
:
...não, não é um bébé...mas parece! 
:
:
Fotos Google
:
:

10 comentários:

AC disse...

É nestas alturas que nos vem à ideia a velha máxima "a paciência é uma virtude". Pois então que seja, pois a loucura espreita. :)

Beijo

© Piedade Araújo Sol disse...

HEHEH

gostei tanto de ler...

beij

Ana Oliveira disse...

AC

Haja, então, virtude...que a loucura está ao virar das horas :)

Um beijo

Ana Oliveira disse...

Piedade

... e eu de escrever...

e assim, rindo, sacudo o peso do inalterável e parto para "novo prato"...

Beijo

Pedrasnuas disse...

COM ESSAS CARAS MASCULINAS NA COZINHA...NADA DE PERDER A PACIÊNCIA...ESTÁ MUITO ORIGINAL...O TRONCO A SAIR DA MELANCIA...FANTÁSTICO!!!

GOSTEI MUITO...FIQUEI COM APETITE...

BEIJOS

Ana Oliveira disse...

Pedrasnuas

...ainda bem que te abriu o apetite...por aqui nem as piadas mais "giras" ou as imagens mais bem engendradas conseguem esse milagre no senhor que se "afoga na melancia"...

Beijos

uminuto disse...

eheheh uma pitada de bom humor e qualquer prato ganha outra vida
adorei
um beijo

avlisjota disse...

A pressa é sempre mais que muita... mas, vale a pena perder alguma aqui no seu blogue que é muito rico.

Belíssimo mundo... o dos seus olhos.

José

Ana Oliveira disse...

Uminuto

Obrigada

Eu também...pena que o humor não consiga "fazer engolir" esses pratos!

Um beijo

Ana Oliveira disse...

Avlisjota

Obrigada

Direi que a "beleza está nos olhos de quem a vê"... o que neste caso se justifica.

Bjs