sexta-feira, 8 de abril de 2011












na água dos olhos é que se mata a sede da boca
se na boca os lábios já mataram as palavras  
como quem mordeu nas mãos a vontade de beber
e nos olhos amortalhou a fome de dizer.



3 comentários:

Noemia Travassos disse...

Olá Ana,

Palavras profundas e sentidas tão emolduradas nesta belíssima pintura!

© Piedade Araújo Sol disse...

profundo.

imagem belissima.

bom fim de semana!

beij

uminuto disse...

fica-me a fome das palavras, na sede de encantamento...tão belo!!!
beijo e bom domingo