domingo, 31 de outubro de 2010


:
:


no charco luminoso dos dias
as pedras que mastigo lentamente
desenham circulos concêntricos
no reflexo de uma rosa que se perdeu
   :

as pétalas que o tempo varreu  perfumam de cor a luz
:
:

4 comentários:

© Piedade Araújo Sol disse...

as pétalas que o tempo varreu perfumam de cor a luz

no reflexo de uma rosa que se perdeu
desenham circulos concêntricos
as pedras que mastigo lentamente
no charco luminoso dos dias

e assim? que achas?...eu gosto!

beij

Ana Oliveira disse...

Piedade

Gosto mais assim...da tua maneira.
É a diferença entre uma escrevinhadora como eu e o teu dom de poeta.

E gostei muito que tivesses re.escrito...

Um beijo

AC disse...

E não será o perfume a verdadeira essência das rosas?

Beijo :)

Ana Oliveira disse...

AC

Talvez...
Que o perfume das rosas é o que nos fica na memória muito para além das pétalas mortas.

Um beijo