quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

RECICLAGEM

Peça de Ana Oliveira

Era uma vez uma saladeira de vidro azul. Vivia num armário com muita loiça. Às vezes saía para ir à mesa, cheia de cores da salada. Depois gostava de sentir a água fresca lavá-la, a maciez do pano que a enxugava e de voltar ao seu cantinho muito sossegado.
Um dia, mãos desajeitadas deixaram-na escorregar...estilhaçou-se em mil pedaços azuis escuros e brilhantes, a lembrar uma noite de estrelas derramada no chão.
Hoje, os pedaços moram, definitivamente, num prato que os acolheu e transformou em cantinhos de céu numa manhã de verão.

Foto Ana Oliveira

15 comentários:

Paula Raposo disse...

E é uma verdadeira beleza!! Beijinhos.

Benó disse...

Parabéns Ana.
Pois realmente estamos em tempo de aproveitamento do velho para fazer novo--Reciclar--Ficou giro o prato e original.

Também já fiz um trabalho idêntico.
Um grande abraço.

simplesmenteeu disse...

Esta é uma das histórias mais bonitas que li.
Como consegues transformar uma saladeira, de vida pacata e silenciosa...(mas despedaçada)... num prato com "cantinhos de céu". E... um tempestuoso inverno... numa "manhâ de verão".
Esta é semelhante à história de muita gente...Pena que os finais sejam diferentes...

Beijos

kris disse...

que bonitos estilhaços azuis!

azul é a minha cor preferida.

curioso é que não tenho nenhuma peça na minha cozinha azul...hummm...devia ter, dá cor..os meus pratos são pretos...e pretos e vermelhos...saladeira em loiça/barro e em madeira...

Ana Oliveira disse...

Paula

Obrigada.

Beijos

Ana

Ana Oliveira disse...

Beno

Alem de aproveitar e tambem transformar e nao perder nada.

Beijos

Ana

Ana Oliveira disse...

Simplesmenteeu

Nao sei como consigo...acontece.
E todas as historias semelhantes podiam acabar, senao assim,pelo menos como licao. Depende de nos tirar o melhor possivel do que nos e dado viver.

Beijos

Ana

Ana Oliveira disse...

Kris

O azul tambem e aminha cor favorita.

A tua cozinha dve ser gira e colorida, no entanto, devia ter umas coisas azuis para equilibrar agua e fogo.

Beijos

Ana

najla disse...

Quem me dera a mim, transformar tudo o que parto, nessa beleza....

Está lindo!!!!

Tenho um desafio no meu blog para ti...beijinhos

Ana Oliveira disse...

Najla

Pois também eu, porque mesmo partindo pouca coisa nem tudo acaba tão.

Vou buscar o desafio, obrigada.

Beijos

Ana

Maria disse...

Cantinhos de céu
de anil matizado
manhã de verão
em prato vidrado

lágrimas podem ser
ou gotas de chuva
mesmo suco de uva
que apetece beber

pingos brilhantes
em fundo dourado
não muito distantes
de encontro adiado

clamam reunião
partilha celeste
ao ritmo do coração
e da natureza agreste

uma feliz criação
de forte contraste
e poética explicação
com que nos brindaste

Beijo
Maria

Ana Oliveira disse...

Maria

Obrigada pelos versos que embelezaram o prato...céu, chuva, sumo de fruta...desde que não sejam lagrimas de dor!

Beijos

Ana

Maria disse...

Ana,

nunca lágrimas de dor
mas de intensa comoção
que extravasam o coração
pelo transbordante amor

Com votos de um intenso fim de semana!

Maria*

Fatima disse...

Ana que mãos fantásicas para a arte e para as letras.
Como a saladeira zul deve estar contente!
É que para além de ter tido uma história, ainda se transformou em prato!

Ana Oliveira disse...

Fatima

A saladeira e eu agradecemos, ela que de útil se fez adereço e eu que lhe descobri a alma e a pus a nu.

Boa Semana

Beijos

Ana